Temas juventude e consciência negra sensibilizam educandos

Testemunho do jornalista Jorge Teixeira, do Rio Grande do Sul. Foto: Tamirys Torres
Testemunho do jornalista Jorge Teixeira, do Rio Grande do Sul. Foto: Tamirys Torres

A partir de duas temáticas sobre juventude, os educandos participaram de mais uma atividade no último dia do 2º Congresso Marista de Educandos e Famílias, em 14 de outubro. Mediado pela agente de pastoral Ana Carolina Dias, da Província Marista Brasil Centro-Sul (PMBCS), o encontro reuniu o presidente do Conselho Estadual de Políticas Públicas da Juventude (PE), João Urbano Suassuna, e o Ir. José Aderlan Brandão, também da PMBCS, em bate papo no formato de mesa redonda.

O também secretário executivo de Políticas para Criança e Juventude de PE direcionou a fala para os direitos e deveres das juventudes a partir do tema “Participar, debater e construir: direitos e educação”.  “Os jovens precisam ter visão crítica sobre tudo. Todos sabem que eles têm força. Precisamos nos apropriar desse discurso e saber a importância da participação social e do protagonismo juvenil”, relatou. O secretário, e também neto de Ariano Suassuna, distribuiu exemplares do Estatuto da Juventude, que foi construído por diversas mãos, em debate intenso entre juventudes de várias gerações.

Educandos recebem Estatudo da Juventude. Foto: Tamirys Torres
Educandos recebem Estatuto da Juventude. Foto: Tamirys Torres

Para o Ir. José Aderlan, é importante falar da violência contra a juventude negra, já que, segundo ele, o Brasil é o segundo país no mundo com maior população negra e ainda há grande diferença de homicídios entre jovens negros e brancos. “As diferenças, que deveriam nos unir, ainda são tabu. Eu sinto que é um cenário difícil, mas precisamos materializar a esperança. A juventude negra precisa, sobretudo, se valorizar, pois reconhecer-se negro é reconhecer-se filho de Deus”, destacou.

O momento teve, ainda, testemunho do jornalista Jorge Teixeira, do Rio Grande do Sul. Como negro, ele fez a leitura da realidade diante das diferenças que vivencia e convidou os jovens a pensar criticamente.

Deixe uma resposta

Nome *
E-mail *
Site